Pacotes Meo, Nos e Vodafone: primeiro agente do consumidor de serviços tv net e voz em Portugal!

Escola Secundária Tomás Cabreira

37° 0' 58.1" N, 7° 55' 41.6" W

Liceu Nacional de Faro
Liceu Central de Faro
Liceu João de Deus
Escola Técnica Elementar Serpa Pinto
Escola Industrial e Comercial de Faro
Escola Secundária de Tomás Cabreira

História
Curiosidades

História

O Liceu Nacional de Faro, em 1898, funcionava nas instalações do Seminário de São José, mas com o nº crescente de alunos a Câmara percebeu a necessidade de encontrar um local próprio para o ensino liceal em Faro. Ainda assim, foi apenas em 1903 que o Governo encontrou o terreno para a construção de um novo edifício.

O local escolhido pertencia a Modesto Reis e localizava-se entre o Passeio Vasco da Gama (actual Alameda João de Deus) e a Rua da Trindade. Modesto Reis cedeu então essa parte do seu terreno para a construção do edifício, contudo, a obra viu-se várias vezes parada entre 1903 e 1904 por falta de verbas tendo apenas terminado em 1908 e inaugurado com o primeiro ano lectivo de 1908/1909. Este edifício, invulgar na época, foi construído pelo empreiteiro de obras públicas Eduardo Pinto Contreiras, natural de Gorjões, com uma profissão que já vem no sangue dos seus antepassados e que deixa também na sua descendência.

O espaço continuava limitado e as aulas foram divididas em dois turnos. Em 1910 o liceu tinha 10 alunas do sexo feminino. Em 1911, o Liceu Nacional de Faro ganha o nome de Central, o que lhe permitiu poder também leccionar o curso complementar. Por consequência, aumenta o nº de alunos, logo, aumenta também o problema de falta de espaço.

No ano seguinte, é proposto o nome de Liceu Central João de Deus em homenagem ao poeta e pedagogo algarvio. Em 1914 é criada a Associação Académica do Liceu e este passou a publicar jornais como "A Alma Académica" e "A Centelha". 7 anos depois (1921) são realizadas obras de ampliação do edifício mas as disciplinas de Física, Quimica, Ciências Naturais e Geografia continuavam sem salas de aulas. Foi em 1929 que esta escola mudou para o nome de Liceu João de Deus.

Finalmente, em 1941, o Ministério das Obras Públicas anuncia a construção de um novo edificio, pois a falta de salas e o constante aumento de estudantes liceais tornavam a situação difícil. Enquanto o novo edifício (actualmente Escola Secundária João de Deus) se construia, em 1947, o Liceu João de Deus volta a chamar-se Liceu Central de Faro por não haver outro na região. Por fim, em 1948, o Liceu é transferido para as novas instalações e estas, onde tinha funcionado por 40 anos, recebem a recém criada Escola Técnica Elementar Serpa Pinto. Apenas 3 anos depois, a 31 de Maio de 1951, passa a integrar também, além do ensino elementar que já funcionava, o ensino comercial e industrial através de uma fusão com a Escola Comercial e Industrial em 1951.

Após o 25 de Abril de 1974 o ensino em Portugal sofre grandes alterações que vêm a ser colocadas em prática até 1979. O ensino liceal e técnico são extintos em 1975: surgem os cursos gerais unificados e os 10º e 11º anos (ex 6º e 7º anos). Assim, em 1979, a Escola Industrial e Comercial de Faro passa agora a chamar-se Escola Secundária de Tomás Cabreira. No ano seguinte começa a leccionar o 12º ano.

<- 1908 - Entrada: Liceu Nacional de Faro (oficialmente em 1851)
-- 1911 - Renomeada: Liceu Central Nacional de Faro
-- 1929 - Renomeada:Liceu Central João de Deus
-- 1947 - Renomeada:Liceu Central de Faro
->1948 - Saída:Liceu Central de Faro
<- 1948 - Entrada: Escola Técnica e Elementar Serpa Pinto (1947)
-- 1951 - Renomeada: Escola Comercial e Industrial de Faro
-- 1979 - Renomeada: Escola Secundária Tomás Cabreira

Em 1986, o ensino em Portugal volta a ter grandes mudanças. O Curso Geral Unificado (7º, 8º e 9º ano) é transformado em 3º ciclo do Ensino Básico o que, por conseguinte, leva a Escola Secundária a não continuar o ensino destes anos escolares, ficando apenas com o ensino secundário (não obrigatório), ou seja, 10º, 11º e 12º anos. Este processo não é imediato, pois em 1986 não havia ainda capacidade nas novas escolas (acabadas de construir ou ainda em construção) para todos os alunos do novo 3º ciclo do ensino básico, por isso, a Escola Secundária Tomás Cabreira continuou a leccionar o 9º ano por mais alguns anos.

A partir de 2009, o ensino secundário passa também a ser obrigatório até à idade de 18 anos e/ou o seu término.

Em Dezembro de 2010 começa uma grande remodulação de toda a estrutura desta Escola, que se realiza até 2012. Várias áreas/edifícios são destruídos para dar lugar a novos planos como se pode ver nas imagens/slides acima.

Curiosidades

curiosidade A Escola Secundária Tomás Cabreira, como instituição, começa a 16 de Agosto de 1888 como Escola de Desenho Industrial Pedro Nunes e funcionava na actual Rua do Município.

curiosidade O Prof. José António Pinheiro e Rosa foi professor nesta escola entre 1967 e 1975.

curiosidade O Prof. Aníbal Cavaco Silva foi aluno neste edifício entre 1948 e 1950.

curiosidade Antes do 25 de Abril de 1974, quando ainda existiam o ensino liceal e o ensino técnico profissional, a discriminação social dava-se a nível Nacional, porém em Faro há uma curiosidade interessante de lembrar: os alunos da Escola Comercial e Industrial chamavam aos alunos do Liceu pela alcunha de Bifes. Estes resolvem responder apelidando os alunos da Escola Comercial e Industrial com a alcunha de Costeletas. Assim nasce um novo jornal da escola: "Os Costeletas"

curiosidade As obras de 2010-2012 começam com a destruição de alguns edifícios, um dos quais, um pavilhão que teve diversas funções, inclusivé de salão de bailes. Para quem conheceu bem este edifício, este vídeo pode não ser fácil de ver. Contudo, o trabalho de vídeo e edição merece que o destaque (Youtube user joaofat).




Obras consultadas

- http://dre.pt/
- http://www.museu.presidencia.pt
- http://www.tomascabreira.info
- http://www.esec-tomas-cabreira.rcts.pt
- http://oscosteletas.blogspot.com/
- http://apcgorjeios.blogspot.com
- http://faroefaro.blogspot.com